Introdução

Humor gráfico: a charge como documento

Caricatura, cartum e charge: é tudo a mesma coisa?

Não. Na verdade, são parentes próximos. Pertencem à família do humor gráfico, isto é, ao grupo de espécies documentais impressas que resultam da combinação engenhosa de imagens distorcidas e textos curtos, com a pretensão de

  • surpreender
  • provocar o riso
  • e despertar a consciência crítica dos leitores.

Esta exposição aborda o potencial informativo da charge, tomando como referência documentos que integram o acervo da Fundação Fernando Henrique Cardoso.

A caricatura é o desenho que se faz de uma pessoa, exagerando ou simplificando traços de sua fisionomia.

Clique no áudio acima para saber mais sobre os documentos.

Os traços físicos da pessoa constituem o alvo favorito dos caricaturistas.

Recorrendo ou não aos traços físicos, os caricaturistas pretendem quase sempre sinalizar a personalidade da pessoa retratada.

O alvo dos cartuns são os costumes e o comportamento humano de modo geral, sem fazer referência a pessoas ou eventos específicos.

A charge aborda fatos recentes, quase sempre de natureza política. Presa ao tempo e ao lugar do acontecimento que a motivou, seu significado, com o passar dos anos, vai ficando cada vez mais distante de nossa compreensão.

A leitura da charge e, consequentemente, seu uso como documento dependem sempre de amplo processo de contextualização.

Desprovida de autonomia de sentido, essa modalidade de humor gráfico demanda um duplo exercício, que precede o gesto interpretativo propriamente dito:

  • o de relacionar a espécie com a atividade que lhe deu origem
  • e o de estabelecer as conexões que mantém com outros documentos.

Ficha técnica

Roteiro e textos: 
Ana Maria de Almeida Camargo

Pesquisa e seleção:
Alexandre de Almeida
Ana Maria de Almeida Camargo
Pedro José de Carvalho Neto
Raquel Strelciuc Leoni
Renata Bassetto de Oliveira

Locução
Alexandre de Almeida
Pedro José de Carvalho Neto
Raquel Strelciuc Leoni
Renata Bassetto de Oliveira

Edição de áudio:
Alexandre de Almeida

Montagem:
Pedro José de Carvalho Neto

Identidade visual:
Sintrópika